Bancada Sulista

Bancada Sulista

NOTÍCIAS

Ministério investe no ecoturismo

Tamanho da letra A+ A-
Visão aérea do Parque Nacional de Anavihanas

Com 8 milhões de km quadrados, o Brasil possui natureza que encanta turistas de todas as partes do país e do mundo. São praias, florestas, dunas, cachoeiras, rios, lagoas e riquíssimas fauna e flora. Paisagens de rara beleza, espaços para lazer, prática de esportes ao ar livre, descanso e contemplação. Um acervo biodiverso que, utilizado de forma sustentável, pode gerar emprego e renda para milhões de brasileiros.

Diante disso, a atual direção do Ministério do Meio Ambiente (MMA) tem se empenhado em incrementar as ações nessa área. O primeiro passo foi a criação da Secretaria de Ecoturismo, que visa fomentar atividades capazes de unir o turismo na natureza ao desenvolvimento sustentável do país.

Além disso, a atual direção do MMA está empenhada em agilizar as concessões de serviços de uso público nas unidades de conservação federais, em especial, os parques nacionais, como uma forma de estruturar o mais rápido possível essas unidades para receber melhor os turistas.

Aumento de visitação

No ano passado, os parques nacionais, a categoria de UC mais relacionada ao turismo na natureza, receberam 12,4 milhões de visitantes do Brasil e exterior, 6,15% a mais que em 2017, quando foram registrados 10,7 milhões de visitas.

Todo esse movimento trouxe enormes benefícios para a economia. Segundo estudo realizado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), autarquia do MMA, em 2017 os visitantes gastaram cerca de R$ 2 bilhões nos munícipios do entorno das UCs.

Faturamento

Ao todo, foram gerados cerca de 80 mil empregos diretos, R$ 2,2 bilhões em renda, outros R$ 3,1 bilhões em valor agregado ao Produto Interno Bruto (PIB) e mais R$ 8,6 bilhões em vendas. Os resultados mostram que, a cada R$ 1 real investido, R$ 7 retornam para a economia.

Além das vantagens econômicas, o turismo ecológico aproxima as pessoas da natureza e contribui para o aumento da conscientização ambiental. O que, num país megabiodiverso como o Brasil, têm uma importância fundamental.

Dez atrativos

Para dar uma pequena mostra do potencial ecoturístico do Brasil, apresentamos, a seguir, em homenagem ao Dia Nacional do Turismo, comemorado nesta quarta-feira (8), os atrativos de dez unidades de conservação geridas pelo ICMBio/MMA que você não pode deixar de conhecer e curtir:

Cataratas do Iguaçu

As Cataratas do Iguaçu são um conjunto de cerca de 275 quedas de água no rio Iguaçu (Bacia hidrográfica do rio Paraná), localizadas no Parque Nacional do Iguaçu (PR). A impressionante sequência de cachoeiras é considerada Patrimônio da Humanidade e foi escolhida em votação pela internet uma das 7 Maravilhas Naturais do Mundo. O parque recebe mais de um milhão de turistas por ano, boa parte de estrangeiros. É o segundo no ranking. Fica atrás apenas do Parque Nacional da Tijuca (RJ), que abriga o Cristo Redentor.

Corais de abrolhos

Abrolhos é o maior banco de corais do Atlântico Sul e lugar ideal para a prática do mergulho subaquático. Localizado no litoral do extremo sul da Bahia, fica no interior do Parque Nacional Marinho de Abrolhos, a 70 km da costa. Guarda belezas raras, como o coral Mussismilia braziliensis, conhecido por coral-cérebro por seu aspecto peculiar. Um levantamento da biodiversidade da região registrou aproximadamente 1.300 espécies de plantas e animais marinhos e aves migratórias.

Lençois maranhenses

Não há nada no mundo comparável aos Lençóis Maranhenses, que é protegido pelo parque naconal de mesmo nome. Os passeiso pelas dunas a perder de vista, que mais lembrar paisagem lugar, e os banhos refrescantes nas lagoas formadas pelas águas das chuvas atraem turistas, que visitam o local durante o ano inteiro.

Fernando de Noronha

A quase 400 km da costa, Fernando de Noronha, no litoral do estado de Pernambuco, é um dos roteiros turísticos mais badalados do país. Com suas praias deslumbrantes, o arquipélago, protegido por um parque nacional e uma área de proteção ambiental (APA), recebe visitantes do Brasil e de todas as partes do mundo. Nas águas cristalinas, a vida se mostra em diversidade e beleza aos mergulhadores. São cerca de 200 espécies de peixes, entre outros habitantes. O mais famoso é o golfinho-rotador, que encanta os turistas com suas criativas acrobacias.

Pantanal matogrossense 

O Pantanal é um santuário ecológico, com aproximadamente 140.000 km², entre os estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Maior planície alagável do mundo, é o lar de cerca de 600 espécies de aves. A mais vistosa é a arara-azul-grande, mas há ainda tuiuiús (ave símbolo do lugar), tucanos, periquitos, garças-brancas, beija-flores, papagaios, gaviões, carcarás. Pelo menos 135.000 ha desse tesouro da natureza estão dentro do Parque Nacional do Pantanal Matogrossense, muito visitado de maio a setembro, período de seca na região.

Chapada dos veadeiros 

Considerada berço das águas, por abrigar nascentes de rios que drenam as principais bacias hidrográficas do país, a Chapada dos Veadeiros (GO) é procurada principalmente por aqueles que querem aproveitar o contato com a natureza ou experimentar seu lado esotérico. Na região, há cachoeiras das mais variadas alturas e um cânion. Para chegar a esses atrativos, bastar caminhar pelas trilhas construídas pelos servidores do parque nacional e parceiros. Melhor período de visitação é na época da seca, de junho a novembro.

Costa dos corais 

A Costa dos Corais é uma Área de Preservação Ambiental (APA), gerida pelo ICMBio, que abrange 135 km da costa nordestina, de Tamandaré (PE) até Paripueira (AL). As piscinas naturais no mar de Maragogi ficam no miolo deste rico ecossistema, caracterizado por praias de águas límpidas, calmas e mornas, manguezais, coqueirais e, para dar mais emoção, a presença do peixe-boi, um dos animais marinhos mais simpáticos da fauna brasileira. Eles podem ser vistos facilmente na base do ICMBio em Porto de Pedras, onde há um trabalho de recuperação da espécie, ameaçada de extinção.

Botos em Anavilhanas

O Parque Nacional de Anavilhanas, em Novo Airão (AM), a 200 km de Manaus, é o maior arquipélago fluvial do mundo. Lá, é possível desfrutar de belas praias de areias brancas que emergem entre o emaranhado de cursos d´água da cor de chá mate. Na cheia (março a agosto), o vislumbre fica por conta das trilhas aquáticas de igapó, isto é, passeios de barco por dentro das florestas alagadas. Em qualquer época, porém, é possível visitar o Flutuante dos Botos Cor de Rosa e interagir com os animais, uma experiência inesquecível.

Serra da Capivara

A vegetação típica da Caatinga, em meio às exuberantes formações geológicas de serras, vales e planícies já são motivos de sobra para uma viagem rumo ao Parque Nacional da Serra da Capivara, no interior do Piauí. Porém, os registros rupestres encontrados no local são o que torna esse parque singular. A Serra da Capivara contém a maior concentração de sítios arqueológicos conhecidos das Américas – são mais de 1.000, dos quais 173 abertos à visitação – e a maior concentração de arte rupestre a céu aberto do mundo.

Aparados da Serra

A região dos Aparados da Serra, no extreno norte do Rio Grande do Sul, divisa com o estado de Santa Catarina, onde o ICMBio mantém um parque nacional, é conhecida como a Terra dos Cânions. Do alto dos mirantes, que flutuam sobre fendas profundas o cenário, é de tirar o fôlego. Como se tivesse sido aparada por facões - dái o nome do local -, a planície elevada sustenta imensas ranhuras naturais sobre gargantas que despencam do alto dos Campos de Cima da Serra e deixa escorrer cachoeiras por paredões verticais de até 900 metros de altura, antes de se esconderem em veios de rocha báltica, que terminam em rios mansos.

Ascom MMA/Fotos:MMA/Divulgação

Veja imagens abaixo:

Vídeos

Deputado Celso Maldaner no MMA

15 de Maio, 2019 às 08:48

Mais vídeos