Bancada Sulista

Bancada Sulista

NOTÍCIAS

CAGED: Emprego formal fica no positivo pelo terceiro mês seguido

Tamanho da letra A+ A-
Emprego formal em destaque( foto: arquivo)

(Brasília-DF, 29/10/2020)  Foi divulgada nesta quinta-feira, 29, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged) mostrando que houve registro positivo pelo terceiro mês consecutivo com o saldo positivo na geração de empregos com carteira assinada. O saldo do emprego formal ficou positivo em 313.564 postos de trabalho em setembro, mês com melhor resultado de 2020. A soma é decorrente de 1.379.509 admissões e 1.065.945 desligamentos

O Minisério da Economia enende que é uma reafirmação  da retomada do crescimento econômico após a fase mais crítica da pandemia da Covid-19. Na comparação com agosto, há um aumento de 9% nas contratações, observado em quase todos os setores econômicos.

Números do ano

De janeiro a setembro foram 10.617.333 admissões e 11.175.930   desligamentos. O estoque de empregos formais no país chegou a 38.251.026 vínculos, o que representa uma variação de 0,83% em relação ao mês anterior.

A agropecuária e a construção já estavam com saldo positivo em 2020. Com a recuperação de setembro, a indústria também passou a fazer parte dos grupos de atividade com saldo positivo no acumulado no ano.

Areas econômicas

Foi diagnosticado que todos os setores da economia brasileira registram saldo positivo em setembro. O bom desempenho do mês foi puxado principalmente pela indústria da transformação, com 108.283 vagas a mais.

Já o setor de serviços praticamente dobrou a criação de vagas em setembro na comparação com agosto. De um saldo positivo de 42.545 para 80.481. Destaque para a área de alojamento e alimentação, que teve resultado positivo pela primeira vez desde o início da pandemia com a abertura de 4.637 novas vagas.

No comércio foram 69.239 novos postos; na construção, +45.249; e na agropecuária, +7.751.

As cinco regiões do país registraram saldo positivo em setembro. A alta no Nordeste foi a maior: 1,38% (+85.336 novos postos), seguido pelo Norte, com aumento de 1,15% e 20.640 novas vagas de emprego com carteira assinada.

No Sul, a alta foi de 0,85% e 60.319 novas vagas; no Sudeste, 0,65% e 128.094; e no Centro-Oeste, 0,59% e 19.194 novas vagas.

Alagoas, Roraima e Pernambuco registraram as maiores altas proporcionais entre os estados, com 5,04%, 1,98% e 1,83%, respectivamente. Em termos absolutos, os saldos de São Paulo (+75.706), Minas Gerais (+28.339) e Santa Catarina (+24.827) ocupam as três primeiras posições. Todas as unidades da federação tiveram saldo positivo.

Modernização trabalhista

Em setembro, houve 15.479 admissões e 8.844 desligamentos na modalidade de trabalho intermitente, gerando saldo de 6.635 empregos, envolvendo 3.602 estabelecimentos contratantes. Um total de 180 empregados celebrou mais de um contrato na condição de trabalhador intermitente.

Benefício emergencial

Os resultados mostram que o Programa Emergencial de Preservação da Renda e do Emprego tem sido bem-sucedido em evitar demissões durante o período da pandemia. O programa prevê o pagamento de um benefício mensal a trabalhadores que tiveram o contrato de trabalho suspenso ou a jornada e o salário reduzidos.

Dados atualizados até 23 de outubro mostram que o Benefício Emergencial de Preservação da Renda e do Emprego (BEm) permitiu 18.935.405 acordos entre 9.777.442 empregados e 1.456.821 empregadores no Brasil. Até o momento, o programa pagou R$ 26,1 bilhões.

 

(da redação com informações de assessoria. Edição: Genésio Araújo Jr)

Vídeos

Jorginho Mello e mais recursos no Pronampe

29 de Outubro, 2020 às 16:43

Mais vídeos