Bancada Sulista

Bancada Sulista

NOTÍCIAS

SAÚDE: General Eduardo Pazuello, no Rio Grande do Sul, leva apoio ao Estado em momento de aumento de casos de covid-19

Tamanho da letra A+ A-
Panuello em coletia com o governador Eduardo Leite( Flick Goerno do Rs)

(Brasília-DF, 21/07/2020) Nesta terça-feira, 21, o ministro interino da Saúde, General Eduardo Pazuello, foi ao Rio Grande do Sul para discutir com autoridades locais demandas para reforçar a estrutura de atendimento do Rio Grande do Sul em relação ao crescimento da pandemia do novo coronavírus (covid-19) naquele estado.  Pazuello anunciou o envio de mais cem respiradores ao Estado. A nova remessa se soma aos 535 aparelhos já entregues pelo Ministério da Saúde – 372 beira-leito e 163 de transporte.

Além dos respiradores, o Ministério da Saúde confirmou o envio de um extrator, utilizado para a realização automatizada de exames RT-PCR. O equipamento chegará, nos próximos dez dias, ao Laboratório Central do Estado (Lacen) e vai ampliar a capacidade de testagem do laboratório em até 2,5 vezes: passará de cerca de 400 testes diários para aproximadamente 1.000. O extrator contribuirá para a meta do governo do Estado de ampliar de 1.000 (já feitos atualmente, com a parceria de laboratórios de universidades) para 4 mil testes diários no RS.

Pazuello foi recebido no Palácio Piratini, em Porto Alegre(RS) e, depois de breve conversa no gabinete do governador Eduardo Leite, ocorreu reunião técnica, com duração de quatro horas, com a equipe do Ministério da Saúde.

Antes de apresentar o modelo de Distanciamento Controlado, Leite agradeceu, mais uma vez, o apoio do Ministério da Saúde no enfrentamento ao coronavírus no Rio Grande do Sul. “A presença do senhor e da sua equipe técnica reforça a excelente interlocução entre o Estado e a pasta federal. Temos recebido apoio fundamental com recursos, estrutura e equipamentos, e somos muito gratos a essa enorme contribuição”, reforçou Leite. O governador também salientou a importância do apoio da bancada federal gaúcha e da Assembleia Legislativa no enfrentamento à pandemia.

Eduardo Leite traçou um panorama das ações tomadas pelo governo do Estado até o momento, e também lembrou o empenho do Ministério da Saúde na habilitação de leitos de UTI no RS. Desde o início da pandemia, o RS ampliou de 933 para 1.630 leitos de UTI (habilitados até 13 de julho). O Estado pretende ampliar em até 105% a capacidade hospitalar, chegando a mais de 1,9 mil leitos.

A apresentação do ministro Pazuello incluiu um resumo da situação de enfrentamento ao coronavírus em todo o Brasil e detalhamento técnico sobre a doença e o plano de contingência.

“Tentamos agir com a maior rapidez possível. Buscaremos o que precisamos onde tivermos de ir. Não podemos deixar ninguém para trás. Nossa prioridade é tratar e salvar vidas, e é assim que o ministério está se posicionando, e como eu vejo que os governos e os municípios estão se posicionando”, afirmou.

Pazuelo destacou que procurou a secretária da Saúde, Arita Bergmann, a fim de buscar orientações e ideias para o combate à doença, com base na estratégia adotada pelo Estado. Pazuello reforçou a disposição do Ministério da Saúde em auxiliar os gestores neste momento.

O Rio Grande do Sul, na semana passada, recebeu, por meio da Portaria 1.666/2020, R$ 135 milhões – outros R$ 533 milhões foram enviados para os municípios. No total, o Ministério da Saúde já enviou ao Estado quase R$ 900 milhões destinados ao combate ao coronavírus, além de 9.492.970 equipamentos de proteção individual (EPIs) e 458.180 testes rápidos.

A Secretaria da Saúde também fez a solicitação de 475 monitores cardíados, cujo envio foi confirmado pelo Ministério da Saúde. A pasta está em processo de compra dos equipamentos, que devem ser enviados em agosto. A SES aguarda, também, a habilitação de 78 leitos até o final deste mês.

Pazuello foi recebido por Leite, pelo vice-governador Ranolfo Vieira Júnior, pela secretária Arita, pelo prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior, e pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ernani Polo. Deputados federais e equipe técnica do Estado e do município de Porto Alegre também participaram da reunião, que foi seguida de um almoço e, após, entrevista coletiva de imprensa.

Após a reunião técnica e do almoço, o governador Leite e o ministro Pazuello concederam entrevista coletiva no Palácio Piratini. O evento foi transmitido em redes sociais.

Leite reiterou a importância do esforço coletivo e do apoio do Ministério da Saúde ao Rio Grande do Sul. "Nossa reunião de trabalho foi muito positiva, e temos recebido, por parte do Ministério, a atenção, os recursos, os equipamentos e os insumos necessários", reforçou.

Um exemplo dessa boa interlocução, lembrado pelo governador, foi a operação, na semana passada, entre o governo do Estado, o Ministério da Saúde e do Exército Brasileiro para viabilizar um acordo de cooperação técnica para que o Uruguai disponibilizasse medicamentos ao Estado. Os remédios foram repassados a 38 hospitais gaúchos.

Pazuello foi perguntado durante a entrevista acerca das ações do Executivo para pesquisa sobre vacinas. Ele citou o acordo com o laboratório responsável pela produção da chamada “vacina de Oxford”, que está sendo testada no país.

O ministro explicou que o processo agora está na negociação dos termos da compra dos insumos e da transferência de tecnologia para produção da vacina no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Há ainda outros acordos em curso, como o da vacina chinesa pelo governo de São Paulo.

O ministro também falou sobre o término do convênio com a Universidade Federal de Pelotas (UFPel) que resultou de um dos maiores inquéritos epidemiológicos do mundo e que entrevistou pessoas em 133 cidades de todo o país.

“A pesquisa estava muito boa, mas com dificuldade da gente ter uma posição nacional. Para efeitos de Brasil, a gente precisaria mudar alguns tópicos do que foi contratado com a universidade. Ela ficou mais regionalizada e tivemos dificuldade”, justificou Pazuello.

Em evento promovido pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), representantes da equipe responsável pelo estudo afirmaram que o encerramento do financiamento pelo Ministério da Saúde ocorreu devido à discordância dos resultados que não foram bem recebidos pelo órgão do Executivo.

Sobre a situação da evolução da Covid-19 no Rio Grande do Sul, Pazuello se mostrou satisfeito com o que viu na visita ao Estado. "Vejo que o Estado está sob o controle de uma gestão eficiente, com visão completa e detalhada em todos os locais. Se fosse assim em todo o Brasil, eu não me preocuparia com nenhum Estado", afirmou. Pazuello também visitará Paraná e Santa Catarina ainda nesta semana.

( da redação com informações de assessoria. Edição: Genésio Araújo Jr)

 

 

Vídeos

Jorginho Melo fala do reforço no Pronampe

21 de Julho, 2020 às 21:09

Mais vídeos